Astrología culta y erudita

Toda ciencia es predictiva, la astrología tambien lo es

La disertación que ahora sigue continúa el estudio astrológico iniciado aquí, en Astrología Culta y Erudita,  el 19 de agosto de 2016. Espero continuar este estudio para hacer acrecimientos, ya en las próximas horas. Después de terminarlo, quiero traducirlo al español.

Al contrario de lo que solía suceder, mis estudios están ahora interesando a algunos pocos astrólogos de mi país, Brasil. Por lo tanto, estoy teniendo la preocupación de publicar primero en portugués. Pero, porque no quiero retrasarme aún más en la divulgación, adelanto la publicación del siguiente segmento.

 

ECLIPSE SOLAR TOTAL EM AGOSTO DE 2017

No meio de buscas incessantes, porque não cesso de acrescentar novos a centenas de asteróides já compreendidos mas desorganizados, temo não ter desenhado algum asteróide em uma possível posição relevante, que não tenha sido considerado. Mas, tenho que tentar fazer o trabalho.

 SOMBRAS NO CAMINHO DA LUZ

Mensalmente, por duas vezes, a Lua se encontra nos nodos da sua órbita. Então, ela sobe para arquear-se sobre e desce para arquear-se sob o equador celeste, a latitude celeste zero. Quando transita por qualquer um dos seus nodos, a Lua está a cruzar o caminho “dourado” que, no céu, o rastro do sol faz. O caminho do sol é a eclíptica. Nele, acontecem os eclipses. Se quando vemos este caminho solar ser cruzado pela Lua, esta, ao mesmo tempo, também conjugar-se ao Sol, então, ela nos obstruirá a luz solar e ensombrará um trajeto terrestre com uma fatia equivalente na atmosfera. É o eclipse solar e o seu percurso de escuridão sobre a Terra que gira.

E quando a ele próprio estiver oposta, mas o Sol procurar inutilmente ver a Lua cruzando a eclíptica por detrás da Terra, então, estará acontecendo o Eclipse Lunar. O Sol perde de vista a Lua porque a encobriu com a sombra da Terra. São os nodos lunares, que assinalam a oportunidade em que a sombra pode assaltar o caminho dourado da eclíptica, aquela pista plana que suporta a dançarina Terra inclinada ou erguida ante o foco solar que ela orbita ao mesmo tempo em que a dançarina lua a rodeia.

Além destes dois momentos de passagem da Lua pelo rastro dourado do sol, outros dois movimentos ajudam a intensificar ou a enfraquecer o confronto entre luz e sombra. De fato, neste confronto ou colaboração celeste em que o Sol ou a Lua são ensombrados, nem tudo depende da chegada da Lua aos seus próprios nodos para alinhar-se em um eixo que a perfila com a Terra e com o Sol. Além dos dois nodos lunares, é também importante a distancia variada que separa estes luminares entre si e a variada distancia que os separam da Terra, sobretudo a distancia entre a lua e a Terra. A sombra sobre o sol será acrescida no perigeu da Lua (eclipse total, geralmente não são tão demorados porque a lua está mais veloz) e no afélio da Terra, ou diminuída no apogeu da Lua (eclipse anelar, os eclipses mais demorados, porque a distante Lua está mais lenta) e no periélio da Terra. Os eclipses solares totais serão mais demorados quando o encontro da Lua com o Sol se realizar exatamente no momento em que a lua estiver cruzando a eclíptica, quando o grau zodiacal que hospedou o eclipse for o mesmo grau do nodo lunar (ou ascendente ou descendente). No caso atual, O eclipse solar em 28° de Leão acontecerá com o nodo lunar ascendente (Rahul) em 24° do mesmo Leão. Por isso, não se trata de um eclipse solar total de longa duração.

Por sua vez, o eclipse anelar, aquele tipo de eclipse solar que deixa ficar um anel de luz solar em torno da sombra da Lua, não consegue totalmente cobrir o sol. E não o consegue porque a Lua, então, está longe da Terra, portanto a sua imagem nos chega diminuída. Então, mais lenta, ela demora-se mais a desobstruir-nos a visão do Sol. Os eclipses solares anelares são muito mais lentos que os eclipses solares totais.

Os astrólogos atuais desprezaram o importante ensinamento do astrólogo francês, Georges Ruchet. Em seu livro “La Lune Noire ou l’axe métaphysique de l’astrologie” (A Lua Negra ou o eixo metafísico da astrologia), com muitos exemplos, ele nos ensina que o retrato imoral, instintivo e selvagem que hoje é convencionado como sendo os atributos de Lilith (a Lua Negra) é, na verdade, a face de Príapo, nome que ele usa para se referir ao perigeu lunar. É Príapo, e não Lilith, o instinto selvagem e desordenado. Ao contrário de Príapo, Lilith, o apogeu lunar, inspira o homem à moral, ao pudor e à cultura.

Eu também encontrei uma analogia semelhante àquela compreensão que Ruchet ensinou-nos em relação à aproximação e ao distanciamento do nosso satélite. Quando não são eles exclusivamente regentes astrológicos de forças naturais, eles são fáceis, felizes e luminosos, os atributos dos afélios planetários e dos asteróides. Por sua parte, os seus periélios são difíceis e incontroláveis. A minha experiência com asteróides me convence de que o apogeu lunar (conhecido por Lilith) deveria chamar-se Lua Solar, Lua Luminar ou Lua Luzeiro, e que caberia ao perigeu lunar, além do nome Príapo, também os nomes de “Lua Negra” e mesmo o de Lilith.

Eu penso que essa é a lógica para ajudar a se colorir a interpretação dos eclipses. Mas isto é apenas uma hipótese não concluída nem comprovada. Dentre as piores contradições que eu encontrei, passo agora, a mencionar a seguinte:

Se são anelares, os eclipses solares realizados pela Lua em situação ou próxima a situação de “apogeu lunar”, então, eles não são totalmente tenebrosos pois que ostentam um anel de luz. Assim, seria de se esperar uma certa tendência sucessiva de eventos predominantemente bons, embora seja difícil tal qualificação. Contudo, talvez devido à incidência de elementos astrológicos fortemente adversos em posições dominantes, os acontecimentos nefastos se sucederam. Sou inexperiente, mas já vinculei fatos terríveis a este tipo de eclipse supostamente menos nocivo. Oklahoma é nome indígena que significa “terra do homem vermelho”. Por exemplo, o atentado explosivo cometido pelo terrorista americano Timothy McVeigh, em 19 de abril de 1995, contra a sede do FBI em Oklahoma City. Este foi um eclipse solar que foi estimulado, não por um eclipse totalmente tenebroso (total), mas pelo Eclipse Solar Anelar que, em 10 de maio de 1994, a 19°53’30” de Touro e no grau zodiacal onde acontece nodo ascendente de Marte (19°Tr), encobriu Oklahoma City  sob o seu trajeto de totalidade.

Por outro lado, não faltam os eclipses solares de qualidade supostamente “Príapo”, que com a lua em condição ou próxima à condição de perigeu são totais, totalmente obscuros. Para mim, eles seriam os eclipses maus. Se assim for, então é providencial que eles sejam muito menos demorados que os eclipses anelares para se desenrolar. Não tenho experiência para afirmar. Somente como isca aos curiosos, eu apenas sugiro o exemplo do eclipse de tipo total que foi e continuará sendo o mais longo do século XXI. Ele já aconteceu, em 22 de Julho de 2009 a 29°18’39 de Câncer; e demorou 06m39s sobre a Ásia. Por essa lógica que eu estou sugerindo para a tentativa de interpretação de eclipses solares, conforme eles sejam totalmente tenebrosos e rápidos (totais) ou um pouco luminosos e lentos (anelares) eu deveria concluir que este longo eclipse foi um eclipse muito mau. E mais convencidos ficaríamos se observarmos que é no 29º grau de Câncer que acontece o periélio do vizinho e mais violento dos asteróide que eu conheço, Icarus, um asteróide de tipo Apollo, muito próximo da Terra. Embora o massacre de cristãos indianos tenha começado no estado de Orissa a 31 de agosto de 2008, é verdade que, no ano de 2009 e de 2010, os cristãos continuaram sob violência extrema, hoje enfraquecida, mas ainda contínua. Na mesma época, em Bangladesh padeceram os  budistas sob muçulmanos e em Mianmar padeceram os muçulmanos da etnia rohingya (originalmente arakans) sob monges budistas.

A minha experiência permite-me acrescentar que se os dois nodos lunares “fissuram” duas aberturas na eclíptica para transferirem e fazerem retornar a Lua por entre os dois hemisfério celeste, o mesmo tipo de transferência simbolicamente relevante, também, é feito pelos inúmeros pares de nodos planetários com todos os seus respectivos corpos celestes. Os nodos planetários acontecem em determinados momentos orbitais que também são assinalados pelos graus zodiacais relativamente fixos em que os corpos celestes de orbita exterior a orbita da Terra podem ser ocultados pelo Sol. Também eles nos assinalam os graus zodiacais relativamente fixos onde os planetas de órbitas internas à da Terra podem passar na frente do sol como sombras, sempre que se conjugarem ao Sol, no exato momento em que, também, estiverem cruzando a eclíptica.

E, ao mesmo tempo em que servem de ponte por onde transitam entre os dois hemisférios celestes, quando então nos seus nodos escrevem as suas virtudes astrológicas, estes corpos celestes também se aproximam ou se afastam do sol, enquanto o orbitam. E assim, também nos graus zodiacais relativamente fixos da eclíptica em que estão mais aproximados (afélio) ou mais afastados (periélio) do Sol, todos os corpos do sistema solar sinalizam as suas virtudes e mensagens.

Outro importante tipo de eclipse não depende dos nodos lunares e nem da sombra da Terra. Dependem apenas de que aconteçam conjunções entre corpos celestes e a lua, não somente no mesmo meridiano celeste, mas, também, na mesma latitude celeste. São as ocultações de corpos celestes pela Lua.

 

A ANTIGA SURPRESA DOS ECLIPSES

 

O Sol é quente e luminoso desde o seu embrião primordial, antes do ser e da existência, até o coração da última consciência atuante, vivente ou não. A Lua como trevas primordiais é o recinto caótico daquele embrião, mas também é todos os interiores passivos, sombrios e úmidos que se abrem para multiplicar os raios e os ecos refletidos de todos os sois. Além dos luminares celestes serem condição e suportes para a vida, e pontes necessárias para realidades transcendentes, a sua peregrinação regular e cíclica possibilitou o aperfeiçoamento da previdência humana ordenada em calendários. Portanto, o medo de se perder a luz dos luminares celestes é tão grande quanto vasta é a perda se ela for consumida. Muitos, talvez até todos os povos da terra, faziam e continuam a fazer barulho para assustar o monstro que quer engoli-los. Os vikings deveriam assustar Skoll e Hati, os dois lobos que conseguiam alcançar e comer o sol e a lua. E porque o rei era atributo solar na sociedade, os antigos babilônios temiam perder o seu rei. Por isso, era um plebeu que sentava no trono durante um eclipse, para que fosse atingido pelas maldições que cairiam.

Desde os ancestrais mitos e cultos pré abraâmicos, é universal a vulnerabilidade e a amizade mútua entre dois irmãos, um deles mais luminoso tal qual o princípio taoísta Yang e o outro mais sombrio, como o seu oposto Yin. Muitos clãs e aldeias tribais foram divididos conforme o percurso solar também divide o tempo em metades luminosas ou sombrias. Para a astrologia hindu, nos graus zodiacais móveis onde a Lua cruza a eclíptica, abre-se a difícil oportunidade de iluminação espiritual (em Ketu, o nodo lunar descendente na eclíptica) ou a fácil sedução afetiva e intelectual pela ilusão (em Rahu, o nodo lunar ascendente na eclíptica).

Na ancestralidade mitológica de todas as Américas são onipresentes os dois heróis, que são irmãos gêmeos (entre os incas formam um casal) a dramatizarem a sua fraternidade herdada do sol, conforme as suas respectivas virtudes solares e lunares. Estes gêmeos se originam do Sol e podem a ele retornar por meio do arco-íris, de um raio de luz ou de uma ave solar. Também eles transitam entre animais míticos formados nas manchas escuras da luminosa Via Láctea. E se, durante os eclipses do sol, os animais, rebanhos e insetos terrestres subitamente passam a procurar abrigo, como se o dia estivesse acabando, são as aves as que mais se inquietam. Entre os Lule, do oeste do Gran Chaco (grande campo de caça dos incas) do lado argentino, um grande pássaro escondia o Sol ou a Lua com as asas. Também é uma ave, o sublime urubu-rei, o guardião do fogo solar, que os irmãos gêmeos têm que enganar para roubar a luz, o fogo e o próprio sol para os homens no Xingu (Meinacu, Camaiurá e Cuicuru). Quando se trata do roubo da Lua, os amazônicos Ticuna enxergam, ainda hoje, naquelas manchas escuras da Via Láctea, o Tamanduá defendendo a lua da Onça que a espreitava para comê-la, furando-lhe as costelas. Em todas as Américas, a onça é um animal relacionado à noite. Também para os Incas, era a onça que devorava a Lua durante os eclipses da Lua. Para os Meinacu, quando a Lua é eclipsada, feiticeiros não são enterrados para serem logo devorados pelas aves carniceiras. Fundamentam-se nos eclipses os mitos ameríndios da busca da noite, do dia, do fogo, da cultura, do espírito e da morte. Os astecas temiam uma escuridão eterna em que ficariam doentes e famintos e, sem o milho, seriam comidos por demônios. No Xingu, se chora e se sangra, porque seriam as próprias almas da aldeia do Céu que poderiam morrer para sempre, se forem comidas pelas aves de lá, inclusive pelo gigantesco e supremo urubu-rei. O terror, para os Maias seria nascer das suas mulheres grávidas uma geração de crianças defeituosas e incapazes.

Quanto ao cristianismo, como nenhum outro da Bíblia, o capítulo XII do Livro do Apocalipse redimensiona o eterno e transcendente confronto espiritual entre luz e sombras a horizontes cosmológicos e escatológicos. Sol e Lua, maternidade e descendência santas ameaçadas por dragão devorador que é precipitado na Terra em uma guerra perdida diante dos anjos. Eis uma maneira simbólica e metafísica de se ampliar a acepção dos eclipses.

21 DE AGOSTO DE 2017, 18:25:31 UT

No meio de buscas incessantes, porque não cesso de acrescentar novos a centenas de asteróides já compreendidos, mas desorganizados, temo não ter desenhado algum asteróide em uma possível posição relevante, que não tenha sido considerado. Mas, tenho que tentar fazer o trabalho. No prazo que me resta antes que o eclipse aconteça, tentarei escrever apenas as observações que me pareçam mais importantes. Posteriormente, eu talvez acrescente previsões suplementares.

Se estivesse vivo, o mais importante norte americano que seria fortemente afetado por esse eclipse seria David Crockett (17 de agosto de 1786, sol em 27° Le, segundo efeméride MIRIADE), aquele que foi o principal pioneiro na expansão das colônias para o oeste, e que fez norte americano o solo hoje encoberto na sombra da Lua.

Devemos, também, notar que Chicago será a cidade mais afetada por esse Eclipse Solar Total de Agosto de 2017. A data mais recuada e importante da fundação desta cidade é a mesma da ocorrência de um eclipse solar muito parecido com este eclipse atual. Em 17 de agosto de 1803, após ter acontecido este eclipse no norte e no nordeste da áfrica, Chicago foi fundada com o sol em 24° de Leão. O eixo dos nodos lunares estava ao inverso do eclipse atual. O nodo lunar norte em 23° de Leão e o nodo lunar sul em 23° de Aquário.

O regente da fama, popularidade cultural e das pessoas idolatradas por massas fanatizadas é o asteróide próximo da Terra, Hermes. O grau onde acontece este eclipse solar é o 28º no signo de Leão. Este é o grau do periélio do asteróide troiano 2011 QF99; troiano porque compartilha praticamente a mesma órbita de Urano sem com este se chocar. E 2011 QF99 compartilha com Hermes a mesma adesão fanática das massas. A diferença é que 2011 QF99 é o regente do prestígio como popularidade eleitoral. A força de qualquer corpo celeste do sistema solar é máxima no eixo das suas apsides.  No afélio, a força é mais fácil e favorável, enquanto que, no periélio, é mais difícil e desfavorável. Porque o eclipse está ocorrendo no foco orbital do periélio de 2011 QF99, então, o poder consensual obtido pelos políticos eleitos sofrerão tentativas de reversão e de deslegitimação.

Os meus horóscopos são desenhados, não digitalizados. Portanto é demorado encontrá-los nos arquivos. Eu privilegio a efeméride MIRIADE do IMCCE que não concorda com a posição dos planetas exatamente como a maioria dos softwares utilizados. Digo isso para reivindicar, para Donald Trump, o ascendente no começo de Virgem e Marte no 27º grau de Leão, totalmente tomado pelo eclipse, despertando no nativo uma coragem e agressividade que poderá lhe preparar, a si próprio, um campo minado. Por um estudo anterior, eu sei que o dia 4 de dezembro de 2017 será o pior dia para Trump, quanto aos ataques que lhe tentarão depor. Penso que ele resistirá, mas devo retornar ao assunto oportunamente.

Eis algumas personalidades da política que serão, também, afetados por esse eclipse, simplesmente porque possuem o Sol entre 24° e 29° de Leão: Não pude posicionar o sol conforme a efeméride MIRIADE,as posições que seguem são apenas mais aproximadas das posições fornecidas por essa efeméride:

24° Leão: Jiang Zemin,

25° Leão: Laurent Fabius, Okan Ghudi (Namíbia)

26° Leão: Bill Clinton, Jean-Luc Melechon,

27° Leão: Ron Paul;

28° Leão: Mohammed VI do Marrocos, Jacques Cheminade, Fréderic Mitterand,

29° Leão: Margaret do Reino Unido;

 

Cidades e países:

24° Leão: Chicago; Chipre,

25° Leão: Felipe Calderon;. Indonésia,

26° Leão: Calgary, Canadá.

Visitas: 57

Responde a esto

Respuestas a esta discusión

Revisé y reparé graves imprecisiones que habían quedado en el texto por haber pegado frases que no estaban en el orden correcto y haber borrado fragmentos sin haberme apercibido. Como estaban en los párrafos iníciales, que ya estaban muy trabajados, no juzgué necesario revisarlos. Estoy trabajando en las predicciones y la traducción.

Siempre sin tiempo para releer todo, de nuevo, puede ser que aún hayan permanecido errores por distracción que desaparecerán en la versión en español.

Recientemente he entendido los asteroides:

FLORENCE, en 24 agosto 2017, 04:13 BZT, 07:13 UT, asteroide NEA Apollo 3122: actitudes pasionales que hacen sufrir y encarcelar el alma. Prueba y tentación; padecimiento, esclavitud y sujeción espiritual, sufrimiento. Un abismo llamando a otro abismo. El pecado atrayendo el sufrimiento. Como para el budismo y el espiritismo, el encadenamiento del karma. La seducción del pecado se rige por Dionysus.

ITOKAWA, en 26 agosto de 2017, a las 03:43  a.m. BZT, asteroide NEA Apollo (25143): placer sexual masculino y femenino, eyaculación; enfermedades y técnicas pertinentes a la eyaculación, emisión nocturnal. El semen y la inseminación artificial (con Circe 334a, Nausikaa 193b yThalia);

 

Debido a mucha investigación, todavía no he traducido mi texto y de nuevo, necesito publicar la siguiente y urgente advertencia en Español:

 

ALGO SOBRE O ATUAL MÊS LUNAR APÓS O ECLIPSE DE 21 DE AGOSTO

Infelizmente, ainda não segue em espanhol. Atrasei-me em meio a muitas pesquisas (ainda pretendo publicar mais previsões e ilustrações) e não tenho vos avisado dos acontecimentos que foram anunciados pelo recente eclipse solar total de 21 de agosto último, 2107. Dentre muitos sinais, convém avisar urgentemente:

 

GRAVE EXPLOSÃO TERRORISTA

É bom saber que o mais perigoso asteróide de explosões, o asteróide kuiperiano 1994 GV9, não foi estimulado pelo eclipse solar total que abriu o corrente mês lunar a 21 de agosto. Mas, ele será estimulado pela próxima Lua nova a acontecer no dia 20 de setembro de 2017, às 05:30 UTC. A Lua Nova acontecerá em 27° 12’ de Virgem e 1994 GV9 habitualmente cruza a eclíptica em nodo ascendente a 26° de Virgem. O grave é que em 27° de Virgem situa-se o afélio do perigoso asteróide centauro 1999 TD10 (29981) o das usinas dos mais variados tipos de energia, o regente astrológico das explosões nucleares e solares. Desde o ano passado, eu me preocupo com o atual transito de 1999 TD10. Eu chego a temer explosões nucleares terroristas. Elas já estão e continuarão ameaçadoras por alguns anos. Eu não indicarei o período agora, mas já publiquei sobre esta questão, ano passado, em espanhol. Depois de eu encontrar, eu indicarei esse perigoso período em que explosões nucleares terroristas podem ocorrer. Agora, existe perigo nuclear no mês lunar que se iniciará em 20 de setembro.

Antes disso, porém, a Lua Cheia de 6 de setembro de 2017, acontecerá em 13° Vr38° de Virgem. Assim, este plenilúnio será explosivo porque o afélio do asteróide (92) UNDINA se situa no grau 11° de Virgem. Undina é outro asteróide regente de explosões. É justamente no grau zodiacal onde ocorre o seu nodo ascendente, 11° de Câncer, que o atômico 1999 TD10 está a transitar.

Eu não posso ser preciso porque se trata de não divulgar conhecimento potencialmente perigoso, mas fatores astrológicos de TERRORISMO estão indicando que no dia da Lua Cheia, 6 de setembro de 2017, acontecerá ataque terrorista com explosão muito potente. Depois, em 13 de setembro de 2017, quando Marte estiver transitando geocêntricamente na região do seu afélio heliocêntrico (6°Vr), a Lua ocultará Undina. Também não digo por que, mas pelo menos uma explosão será terrorista. Eis o mapa da região terrestre que ficará sob essa ocultação de Undina pela Lua, do Afeganistão ao noroeste dos EUA:

 

MAIS CHUVA E, ENFIM, CHUVA

O asteróide Gefion é o principal regente astrológico das chuvas.  O grau zodiacal mais forte de Gefion é 25° de Leão, onde acontece o seu afélio. Porque o Eclipse Solar Total aconteceu em 28° de Leão, pode-se concluir que chuvas importantes lhe seguirão.

 A Lua á partir do grau 21° de Aquário (nodo ascendente de Gefion) até o grau 25° de Aquário (periélio de Gefion) fará chover onde ninguém espera e fará chover mais ainda, onde já está muito encharcado.

 

CHOQUE APOCALÍPTICO COM A TERRA

O asteróide 3122 FLORENCE, que orbita o Sol a cada 2 anos e 4 meses se aproximará da Terra nesse dia 1 de Setembro. Há uma semana, em 24 agosto de 2017, às 04:13 BZT (07:13 UT), eu compreendi a natureza astrológica deste asteróide. Sim, ele é ameaçador, não apenas porque seja um asteróide cuja orbita pode aproximá-lo perigosamente da Terra, mas, sim, porque o seu significado é o pecado não no seu aspecto sedutor, mas sim, o encarceramento da alma no sofrimento espiritual. O governante astrológico da atratividade sedutora do pecado é outro asteróide, também vizinho a Terra, 3671 DIONYSUS.  Já FLORENCE rege o padecimento nas provações e tentações. A um budista ou a um espírita, eu falaria de FLORENCE como o encadeamento do karma.

Realizei outros estudos astrológicos e se não me detive nessa inédita aproximação de Florence foi porque não consegui perceber nada de apocalíptico nela. Desculpem-me se eu vi mal, mas, para mim, em relação a choques que a Terra possa sofrer de meteoritos, asteróides não previstos e de naves, o dia da Lua Nova de 18 de novembro é muito mais perigoso. Então, a Lua Nova em 26°04’ de Escorpião (efeméride MIRIADE) fará conjunção ao asteróide regente das colisões, 2001 KN76 (27°Sc37’). E todos estes corpos celestes, Sol, Lua e 2001 KN76 estarão opostos ao longínquo centauro 2000 OO67 (87269), regente astrológico da aeronáutica e astronáutica; dos meteoros, meteoritos e cometas.

 

VIRUS

A Lua Cheia de 6 de setembro de 2017, acontecerá em 13° Vr38° de Virgem. O nodo ascendente do asteróide transnetuniano 2001 DS108, regente dos vírus e parasitas, acontece em 16° de Virgem e o seu periélio acontece em 17° de Virgem. Sim, o eclipse solar total de 21 de agosto de 2017 estimulou epidemias contagiosas. Nessa Lua Cheia, viroses começarão a emergir. Atualmente esse asteróide 2001 DS108 lentamente transita (período de 310.68 anos) por 23°Vr29’ (heliocêntrico 23°Vr42’). Assim, com o mês lunar a ser iniciado pela Lua nova do próximo dia 20 de setembro de 2017, em 27° 12’ de Virgem, o vírus já estará fortemente ativo.

 

TERREMOTOS

O momento do grande eclipse, em 21 de agosto de 2017, aconteceu em 28° 38’27” de Leão, segundo a efeméride Miriade. Aí, ele sensibilizou asteróides de força sísmica que faziam oposição nos últimos do eixo Leão/Aquário. Em Leão, o transnetuniano 1999 CP153 em 27°Le54’. E, nos últimos graus de Aquário, o longínquo centauro, 2000 PJ30, em 27°Aq20’.

2005 PQ21 é outro asteróide de qualidade astrológica fortemente “sísmica”. O seu afélio acontece em 8° de Virgem, justamente onde o Sol está agora. Felizmente, ainda não está perigoso, o asteroide detonador dos terremotos, 45 EUGENIA, aquele faz acontecer os terremotos iminentes, que os mais importantes asteróides sísmicos anunciam.  Mas, não deixa de ser relativamente perigosa a passagem da Lua pela eclíptica onde, em 24° Aq 00’, de 4 de setembro às 18:42 UTC.

Após este eclipse, um mês lunar que perigosamente sísmico será o que se iniciará no dia 20 de setembro de 2017, porque a Lua nova, em 27°12’ de Virgem (efeméride Miriade), fará oposição ao próprio asteroide sísmico, 2005 PQ21 (26°Ps39’). 45 EUGENIA já estará um pouco mais ameaçador, pois em 21°Le26’fará conjunção ao nodo lunar ascendente (24° Le).

Vivo en Brasil. Ningún terremoto, ningún huracán, pero no he podido hacer que mi imagen explicativa llegue aquí. Espero traducir todo y luego conseguir pegar las imágenes.

He hecho muchos descubrimientos, a un ritmo en el que no encuentro tiempo de bien para explicarme, ni en portugués ni en español. Incluso en portugués, he errado en la exposición de las ideas porque siempre trabajo, mientras lucho contra el sueño. Tengo muchos dibujos y esbozos, pero la falta de tiempo me impide de todo bien organizar, traducir y publicar.

Sobre huracanes, parece que estoy descubriendo algo importante, el grado 10° de Escorpio. El texto, que ya estoy esbozando, sigue adelante.

Acerca de los terremotos, también a continuación voy a pegar la predicción que recientemente había publicado, añadiendo el dibujo del tema astrológico del terremoto que ocurrió anoche en México.

Debo decir que tan pronto como acababa de publicar el comentario, aún no traducido, titulado “ALGO SOBRE O ATUAL MÊS LUNAR APÓS O ECLIPSE DE 21 DE AGOSTO”, me di cuenta de que debería haber alertado de la presencia del asteroide de los derrumbes, "2000 QK252" (ayer durante el terremoto, en 22° Le 24 '), implicado en la oposición que causó este terremoto.

Se trata de un asteroide transnetuniano lento (período 303.304 años) y que, por lo tanto, provocará muchos derrumbes en los próximos terremotos. Por lo tanto, lentamente está tomando posición de relevancia como indicador de que se producirán terremotos en áreas urbanas.

 

Este es el esbozo de un estudio sobre el grado 10 ° de Escorpio:

 

"IRMA NOS DESOBSTRUIU A VISÃO DE UM TRONO NO SUL ?"

O que segue é o rascunho de um texto que iniciarei quando eu concluir as investigações sobre o 10º grau de Escorpião.

Eu havia estudado este eclipse solar de 21 de agosto de 2017 e ainda não publiquei muitas ilustrações e explicações que já fiz. Me disperso em muitas pesquisas e, ainda ontem, dois dos meus cachorros adoeceram.

Em relação a ventos, somente vi sinais de tempestades e de muita, mas muita chuva mesmo. Quem me mostrou tempestades foi o centauro das tempestades, 1996 RX33. Ele possui o seu nodo ascendente em 25° de Leão, próximo ao grau zodiacal que hospedou o eclipse, o 28º de Leão. Quem me mostrou chuvas foi o asteróide Gefion, que possui o seu afélio, também, em 25° de Leão, Também muito próximo ao grau zodiacal 28° de Leão. O forte sinal de chuva me fez inclusive pensar que a seca no centro oeste poderia acabar no começo de setembro, embora eu saiba que a chuva mais importante somente poderia ser no hemisfério norte, uma vez que somente no início de Libra, às 20:02 UTC do dia 22 de setembro, o Sol começará a descer para aquecer e evaporar as águas do hemisfério sul.                                         &

Vivo en Brasil. Ningún terremoto, ningún huracán, pero no he podido hacer que mis tres imagenes explicativas lleguen aquí. Espero traducir todo y luego conseguir pegar las imágenes.

He hecho muchos descubrimientos, a un ritmo en el que no encuentro tiempo de bien para explicarme, ni en portugués ni en español. Incluso en portugués, he errado en la exposición de las ideas porque siempre trabajo, mientras lucho contra el sueño. Tengo muchos dibujos y esbozos, pero la falta de tiempo me impide de todo bien organizar, traducir y publicar.

Sobre huracanes, parece que estoy descubriendo algo importante, el grado 10° de Escorpio. El texto, que ya estoy esbozando, sigue adelante.

Acerca de los terremotos, también a continuación voy a pegar la predicción que recientemente había publicado, añadiendo el dibujo del tema astrológico del terremoto que ocurrió anoche en México.

Debo decir que tan pronto como acababa de publicar el comentario, aún no traducido, titulado “ALGO SOBRE O ATUAL MÊS LUNAR APÓS O ECLIPSE DE 21 DE AGOSTO”, me di cuenta de que debería haber alertado de la presencia del asteroide de los derrumbes, "2000 QK252" (ayer durante el terremoto, en 22° Le 24 '), implicado en la oposición que causó este terremoto.

Se trata de un asteroide transnetuniano lento (período 303.304 años) y que, por lo tanto, provocará muchos derrumbes en los próximos terremotos. Por lo tanto, lentamente está tomando posición de relevancia como indicador de que se producirán terremotos en áreas urbanas.

 

Este es el esbozo de un estudio sobre el grado 10 ° de Escorpio:

 

"IRMA NOS DESOBSTRUIU A VISÃO DE UM TRONO NO SUL ?"

O que segue é o rascunho de um texto que iniciarei quando eu concluir as investigações sobre o 10º grau de Escorpião.

Eu havia estudado este eclipse solar de 21 de agosto de 2017 e ainda não publiquei muitas ilustrações e explicações que já fiz. Me disperso em muitas pesquisas e, ainda ontem, dois dos meus cachorros adoeceram.

Em relação a ventos, somente vi sinais de tempestades e de muita, mas muita chuva mesmo. Quem me mostrou tempestades foi o centauro das tempestades, 1996 RX33. Ele possui o seu nodo ascendente em 25° de Leão, próximo ao grau zodiacal que hospedou o eclipse, o 28º de Leão. Quem me mostrou chuvas foi o asteróide Gefion, que possui o seu afélio, também, em 25° de Leão, Também muito próximo ao grau zodiacal 28° de Leão. O forte sinal de chuva me fez inclusive pensar que a seca no centro oeste poderia acabar no começo de setembro, embora eu saiba que a chuva mais importante somente poderia ser no hemisfério norte, uma vez que somente no início de Libra, às 20:02 UTC do dia 22 de setembro, o Sol começará a descer para aquecer e evaporar as águas do hemisfério sul.                                                                          

 Mas, eis que aconteceu o maior furacão já registrado no Atlântico, que desbancou o seu antecessor poucos dias depois. O furacão sacudiu a minha ignorância e, finalmente, hoje, 6ª feira às 11h30m BZT, 14:30 UT, "IRMA NOS DESOBSTRUIU A VISÃO DE UM TRONO NO SUL". Este é o título do próximo texto que pretendo concluir.

Um resumo do que quero desenvolver pode ser escrito assim:

O 10° grau de Touro é o trono do céu, porque aí passa o meridiano que hospeda a estrela mais próxima do pólo celeste, Polaris. Qualquer corpo celeste que esteja em 10° de Touro é dominante em qualquer personalidade e, também, em qualquer evento. Esta é a maneira mais fácil de identificar o poder do céu.

Eu já sabia que entre 7° e 12° de Escorpião existe muita força celeste para o poder político, uma vez que o regente astrológico do poder político, 1996 TL66 (apenas um pouco inferior ao absoluto e absolutista Manwe), possui o seu nodo ascendente em 7° e o seu afélio em 12° de Escorpião. Mas, o que eu não sabia era que o trono do céu continua no hemisfério sul, em 10° de Escorpião. Foi Irma que me ensinou. Estou procurando, agora, outros asteróides que recentemente se assentaram neste trono.

Sim, e isto é um reforço a uma previsão minha feita há mais de um ano. Eu prevejo que os mais fortes furacões serão os de final de estação e que eles (mais provavelmente em forma de tornados) estão se dirigindo para o hemisfério sul. A minha explicação é que Escorpião é signo situado no hemisfério celeste sul, sobre as latitudes terrestres sulistas. Quando o Sol está em Escorpião já não se tem mais dúvida de que o calor e as chuvas chegaram ao hemisfério sul e de que o frio já domina no norte da Terra. E é neste signo que, atualmente, transitam os dois mais fortes regentes de ventanias que eu conheço, 1999 HB12, atualmente em 17° de Escorpião e 1998 KD66.

1998 KD66 é asteroide que atualmente está em 10° de Escorpião.

Heliocentricamente, ele aí está desde 20 de maio de 2017 e aí ficará até 19 de março de 2018.  A visão heliocêntrica é a visão do Sol, o delegado de Deus nessas paragens. É ele que conhece quem está longe ou quem está perto.

Geocentricamente, as órbitas dos corpos celestes são sinuosas e hesitantes. O eólico 1998 KD66 entrou no 10° grau zodiacal de Escorpião em 27 de novembro de 2016 e aí ficou até 26 de abril de 2017. Novamente ao 10° grau de Escorpião retornará em 13 de outubro de 2017 e aí ficará um mês. Em 9 de Maio de 2018 novamente estará no grau 10° de Escorpião e ficará até  5 de Outubro de 2018.

Asteróide do cinturão de Kuiper, o período de 1998 KD66 é de 282.72 anos.

1998 KD66, na Terra é:

Velocidade, furacões, tornados, ciclones e tormentas de vento; os veículos e os condutores que superam ou querem superar a barreira da velocidade do som.

O grau zodiacal onde mais fortemente se aloja a virtude de 1998 KD66 é 15° no eixo Libra (afélio)/Áries (periélio).

O segundo eixo mais importante para a manifestação dos ventos de 1998 KD66 é, ainda, de Libra a Áries, no 20° grau zodiacal.

Qualquer corpo celeste que circule por estes graus estará fazendo conjunção sutil mas real com o próprio dono da órbita, mesmo que ele, 1998 KD66, esteja peregrinando por outra região do céu.

MAÑANA POR LA NOCHE, GRAVE TERREMOTO CON DERRUMBRES

La próxima luna nueva del 20 de septiembre de 2017 iniciará un mes de peligros sísmicos. El 2 de octubre de 2017 será muy peligroso.

Pero mañana, domingo, 17 de septiembre de 2017, los terremotos ya amenazan terriblemente.

Mañana, después de 22 horas UTC, el período de tiempo más peligroso para los terremotos será de siete minutos entre 22h19m y 22h26m, la luna ocultará el asteroide Eugenia sobre la frontera ártica entre Groenlandia y Canadá. Debido a que será un ocultamiento muy rápido, el mapa presenta sólo pequeños puntos rojos en esta región. ¿O será sobre la costa al oeste de la isla noruega de Svalbard (78° N12 ', 004 ° E00')?

Cuando los poderosos regentes astrológicos de los terremotos anuncian los sismos, como ocurrió en el reciente eclipse solar del 21 de agosto de 2017, los terremotos quedan en la inminencia de desencadenarse. Si, posteriormente, sucede que el asteroide 45 Eugenia nos señala su confirmación, no hay como equivocarse en la previsión. 45 Eugenia no es el más fuerte regente sísmico, sino el más débil. Sin embargo, es el gatillo, el pequeño impulso que los grandes sismos aguardan para suceder. Mañana, la ocultación de Eugenia por la Luna será justamente en los sensibles grados zodiacales sísmicos que fueron despertados por el eclipse del 21 de agosto de 2017.

Ando cazando el significado astrológico del asteroide 44 NYSA (período 3.77 años). Constantemente yo persigo comprender la identidad de los asteroides, por eso, yo sigo os debiendo traducciones, explicaciones e ilustraciones. Tal vez eso me estorba en las aclaraciones de todo lo que predigo por esos días, pero sobre huracanes, hasta ahora, he aquí lo más importante que he alcanzado:

La Luna Nueva de 20 de septiembre de 2017 traerá tempestades, pero los días más peligrosos del año para la ocurrencia de los más fuertes o destructivos huracanes serán las fechas en que ocurrirán las próximas Lunas Llenas de 6 de octubre y 4 de noviembre de 2017. Que Dios me ayude a hacer más aclaraciones.

RSS

© 2017   Creado por Jose Luis Carrion Bolumar.   Tecnología de

Emblemas  |  Reportar un problema  |  Términos de servicio